Seminário de BOTS e I.A.

Os assistentes virtuais na visão do consumidor

Em uma caminhada evolutiva, ao lado dos bots, estão os assistentes virtuais. Enquanto aqueles visam aprimorar o atendimento ao cliente, estes têm potencial para tornar o cotidiano mais prático. A percepção dos consumidores sobre essa robotização ainda varia. De acordo com um estudo da PwC, 77% das pessoas preferem ser atendidas por um médico humano, enquanto 61% gostam mais de ter aulas com pessoas reais na universidade, mesmo que tenham que pagar mais caro por isso.

Apesar disso, na visão do desenvolvedor de Kaza Razat, em dez anos, não utilizar algum tipo de assistente virtual será tão estranho quanto não ter acesso à internet atualmente. Os dados mostram que, hoje, assistentes virtuais são recursos que ajudam a ganhar tempo, concluir tarefas, lembrar com mais facilidade de eventos marcados na agenda, receber alertas sem preocupação e dedicar mais tempo a tarefas criativas.

Atualmente, 42% dos consumidores utilizam seus assistentes virtuais. Entre os Millennials, o percentual é de 53%. Nas empresas, 72% das pessoas responsáveis pela tomada de decisão usam tais robôs e, dentro esse universo, 34% afirmam que o uso permite ter mais tempo para focar no que é importante.

No futuro, 17% dos entrevistados pela PwC creem que assistentes virtuais serão como conselheiros, enquanto 12% pensam que eles serão professores. Essa é uma perspectiva positiva para os robôs, que tendem a ser cada vez mais bem aceitos entre os consumidores.

Top
X

Desejo receber novidades e notícias do Grupo Padrão e parceiros.


X